segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Para quem sai andando e chorando

Uma palavra para os semeadores de hoje

por Ronaldo Lidório

Lendo a parábola do semeador e o Salmo 126 lembrei-me de muitos amigos e vários missionários. Veio forte a cena dos semeadores de hoje. Aqueles que falam de Jesus, visitam de casa em casa, servem o caído, cuidam do enfermo e enfrentam seus medos.

Alguns lutam a vida inteira contra problemas maiores que eles. É a seca do sertão que causa fome e desesperança, a exclusão social – do corpor e da mente - nas grandes cidades, enfermidades e epidemias que assolam, sem piedade, justamente os lugares com menos assistência de saúde.

Alguns trabalham longe, voando pelos ares para atender os que se escondem nas matas ou nas beiras dos pequenos rios. Sempre mais um lugar a chegar e uma nova barreira a ultrapassar. Outros trabalham perto, lutam nas selvas de pedra. Seu povo não alcançado encontra-se em condomínios fechados, no frenesi das ruas, hospitais lotados, escolas e cárceres. Falam de Jesus e saem de casa orando por oportunidades diárias - e não as perde.

O Salmo 126 nos fala sobre a relação entre a caminhada e o choro. Quem sai andando e chorando enquanto semeia voltará para casa com alegria trazendo seus feixes, o fruto do trabalho. Para cumprirmos o ministério que Jesus nos confiou é necessário andar e chorar. E é certo que muitos fazem ambas as coisas. Tantas idas e vindas, caminhos incertos, a impressão de que há sempre mais um passo a dar, alguém a ajudar, uma pessoa a evangelizar. E as lágrimas, que descem abundantes com a saudade que bate, a enfermidade que chega, o abraço que não chega, o fruto que não é visível, o coração que já amanhece apertado, o caminho que é longo demais.

Creio que temos andado e chorado. Mas voltaremos um dia, trazendo os frutos, apresentando ao Cordeiro e dando glória a Deus! Poderá ser amanhã, ou em algum momento ainda distante. Mas ainda não é hora de voltar. É hora de seguir, andando e chorando, com alegria no coração e sabendo que não trocaríamos esta viagem por nenhuma outra na vida. O grande consolo e motivação é que não andamos sós. Ele está conosco. E maior é Aquele que está em nós. Portanto não desistimos, olhando o horizonte que se aproxima e trazendo à memória o que pode nos dar esperança.

Guarde seu coração enquanto anda e chora. Não perca a alegria de viver e caminhar, nem a mansidão, nem a oração, ou o humor, ou o amor.
Não deixe de semear mesmo quando está difícil. Lance a semente em todas as terras. Uma semente há de germinar e talvez a mais improvável. A que menos promete. Não dê ouvidos àquele que diz que não vai acontecer porque a terra é árida, você é incapaz, o povo nunca muda, o problema é grande demais, o sol é forte e o vento está chegando. Lance a semente.

Lançamos as sementes que o Senhor nos deu e quase sempre há um preço alto a pagar, por isto choramos enquanto semeamos.

Tenho observado os semeadores. Uma enfermeira brasileira atendeu 221 pessoas em um só dia na África sob um calor de 42 graus durante 17 horas ininterruptas. Era uma epidemia que chegava e os próximos dias seriam mais difíceis. No Marrocos um missionário Britânico, para trabalhar com os moradores do lixo, passou também a viver no lixo, durante anos e anos. Um jovem Ganense viajou todo seu país alertando sobre a AIDS, de bicicleta e só, com um sorriso nos lábios. Era ele mesmo portador do HIV. Um pregador de rua, falando em uma praça em Manaus, incansável durante horas em uma segunda feira a tarde. Gritava e dizia: hoje é meu dia de folga, e estou aqui e não em casa porque vocês são importantes para Deus. As sementes são diferentes. Para lançá-las é preciso chorar pois freqüentemente há um preço a pagar. Um pagou com o suor, outro com a abnegação, ainda outro dedicou seu tempo e o último entregava seu único dia de folga. Pague o preço, lance a semente e sirva a Jesus.

Abrace o que também anda e chora que está ao seu lado. Ele talvez se sinta só e pense que é o único que chora enquanto caminha.

Andar e chorar é cumprir a missão. É também um grande privilégio. Um dia você voltará... mas talvez não seja hoje. Se você pensou em desistir da sua caminhada e o coração, abatido, não encontra mais prazer em semear, olhe para o alto e faça um compromisso com seu Deus: mesmo chorando, andarei um pouco mais! Sim, haverá o dia de voltar para a nossa casa, a casa do Pai... mas ainda não chegou. Na força do Senhor continue a caminhar... e chorar... e semear... e sorrir, porque estamos aqui, na lavoura do Pai. Não há lugar melhor.

FONTE:www.ipb.org.br

Pesquisa aponta: 61% dos adolescentes gostariam de casar virgens; 63% gostariam de recuperar a virgindade

Contrariamente à opinião popular, uma sólida maioria dos adolescentes dos EUA gostariam de ser virgens quando se casam, encontrou um estudo recém-divulgado.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Sessenta e um por cento dos jovens americanos disseram que gostariam de não fazer sexo até o casamento, descobriu estudo abrangente da OneHope, o “estado espiritual dos Filhos,” lançado quarta-feira. E 63 por cento dos entrevistados disseram que gostariam de recuperar a sua virgindade, se possível.

O estudo de 91 páginas – que inclui também dados sobre o adolescente de crenças, valores e espiritualidade – foi lançado pouco antes do Dia dos Namorados.

Os resultados do relatório são surpreendentes, dado o aumento da exposição adolescente sexualmente explícito conteúdo de mídia – como a recente controvérsia sobre a MTV, “Skins” – e como eles são retratados pela mídia.

“Há muita pesquisa sobre os jovens, mas quando ouvimos diretamente deles?” comentou Vice-Presidente da Global Ministries OneHope de Chade Causey. “É por isso que a OneHope realiza pesquisas ao redor do mundo, perguntando aos próprios jovens o que mais os impacta. Usamos essa pesquisa para entender melhor suas necessidades, conhecê-los em seus pontos de dor e trazer-lhes esperança através de experiências de mídia transmitindo o amor de Deus.”

O tamanho da amostra foi de 5.108 adolescentes com idades entre 13 e 18 anos nos Estados Unidos. Os estudantes foram recrutados para participar da pesquisa on-line através de uma empresa membro do comitê e através de sites de redes sociais, com o levantamento real que está sendo realizado no final de 2010.

Outros resultados notáveis no estudo do ministério focado na criança são:

* 82 por cento acreditam que Deus planejou o casamento para durar uma vida.
* 50 por cento consideram um homem e uma mulher solteira uma família.
* 59 por cento disseram que a Bíblia tem pouca / nenhuma influência sobre seus pensamentos e ações.
* 62 por cento acreditam que a verdade é relativa.
* 57 por cento acreditam ser boas pessoas e fazer boas obras, poderá fazê-lo ir para o céu.
* 69 por cento assistem a MTV em uma base semanal.

A OneHope, que visa alcançar as crianças do mundo com a mensagem da Bíblia, começou a estudar para aprender mais sobre as necessidades únicas, experiências e tradições sociais dos jovens. O ministério utiliza a pesquisa dos EUA para desenvolver programas, materiais e experiências materiais para atender as necessidades específicas dos jovens norte-americanos e de compartilhar a mensagem de que Deus os ama.

O ministério da Flórida, fundado pelo missionário Bob Hoskins, em 1987 atingiu cerca de 700 milhões de jovens em 125 países através de revistas infantis, filmes animados, shows rave, aplicativos de smartphones, jogos interactivos, entre outros veículos.

Fonte: Christian Post

domingo, 27 de fevereiro de 2011

O Celular e a Bíblia

Fico me perguntando: “O que aconteceria com o Evangelho no Brasil e no mundo se todos os cristãos tratassem a sua Bíblia da mesma maneira como tratam o seu celular?”

1. Que tal se você carregasse a sua Bíblia, o tempo todo, dentro da sua bolsa ou o seu bolso; ou ainda, dependurada, dentro de uma bolsinha, agarrada ao seu cinto?
2. Que tal abrir a sua Bíblia várias vezes ao dia?
3. Que tal voltar para buscar a sua Bíblia sempre que esquecê-la?
4. Que tal usar a sua Bíblia para receber mensagens de texto?
5. Que tal tratar a sua Bíblia como algo sem o qual não pode viver?
6. Que tal dar uma Bíblia de presente aos seus filhos?
7. Que tal usar a sua Bíblia quando estiver viajando?
8. Que tal usar a sua Bíblia em caso de emergência?
9. Que tal aprender a usar a sua Bíblia como faz com o celular?
10. Que tal carregar duas Bíblias, caso esqueça uma em algum lugar?
11. Que tal usar sua Bíblia no carro, andando pela rua, no restaurante, na escola, no shopping e até mesmo na igreja?
12. Que tal trocar de Bíblia o tempo todo por uma mais moderna e sem regatear o preço?

Conclusão:

*Ao contrário do celular, a Bíblia não fica sem sinal. Pega em qualquer lugar, não fica ultrapassada com a chegada de outra versão mais moderna, funciona em qualquer hora e dia.
*Não é preciso se preocupar com a falta de crédito, porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim.
*E o melhor de tudo, não cai a ligação, não tem interferência e a bateria é carregada pela luz divina (carregamento permanente), quando mais usada, mais energia tem.
*Você pode usar a sua Bíblia a vontade. E nunca haverá chamadas perdidas.

Seja inteligente, dedique à Bíblia pelo menos o tempo que dedicamos ao celular. Ela tem muito mais a nos oferecer.

LEIA A BÍBLIA !
Ou melhor, medite sobre a Bíblia, ela não só contém a Palavra de Deus, ela é a Palavra de Deus.
- Bíblia: Manual do fabricante para o cristão.
- Bíblia: Bússola certa para chegada ao porto seguro.
- Bíblia: O mapa certo para a chegada na cidade santa.
- Bíblia: Não é feita para se discutir e sim para obedecer.
- Bíblia fechada é um livro, aberta é Deus falando. Ouça a voz de Deus.
É melhor obedecer do que sacrificar!

Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto'! (Is 55:6)

Talvez esses pensamentos o façam pensar: “Onde está minha Bíblia?”

Talvez esses pensamentos o façam pensar quais são as suas prioridades.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

A FOFOCA

Boca de sapo, língua de cobra e estômago de urubu

Tiago 4: 11-12


Que bicho feio será esse? Leia o texto abaixo e você compreenderá quão horroroso é esse monstro e que, sem dúvida, não é tão raro quanto se pensa.

O prato do dia em muitas rodas é a vida alheia. Alguém falou (que coisa triste!) que – com freqüência a sua família, quando está reunida, almoça e janta sempre o mesmo cardápio: falar mal dos outros, como um prato e tempero a mais.

Como é difícil não ficar comentando coisas negativas acerca de pessoas. Deve haver alguma atração doentia para o assunto, pois vira e mexe alguém é mastigado com molho forte de pimenta ardida. E como disse Walter Knight, “não há maledicentes ociosos. Eles estão sempre ocupados.”

Sujeitos com uma boca de sapo, comumente, apreciam o coaxar das suas intrigas. O som desconexo de seu ruído berrante é a distração favorita na realimentação da própria deformação moral. Quanto mais degenerados forem os tais sujeitos, mais sujeitos ficarão ao zureta do seu diz-que-diz-que, diz-que-diz-que, diz-que-diz-que...

O veneno da difamação é maligno e triplamente tóxico. Além de desfigurar e matar as vítimas da picada, e, ao mesmo tempo, aleijar o próprio agente da toxina, também corrompe e mata o ouvinte.

A linguagem viperina tem sido responsável pela amargura e deformação de muitos lares e pessoas inocentes. Muitos escapam dos destroços letais da peçonha maldita, mas carregam pelo resto da vida as seqüelas morais do envenenamento.

A receita da fofoca é uma farofa venenosa de futricas que o inferno inventa para manter os canalhas subservientes a serviço da imundícia dos seus estômagos de urubu. Não há coisa mais nojenta do que comer carniça na cocheira da calúnia. A podridão do pecado servindo de alimento para um povo maníaco é um grude repugnante que os nobres participantes do reino de Deus devem rejeitar com coragem e rispidez.

Por favor, não me convidem, nem me incluam no chiqueiro da maledicência, já que tenho uma tendência natural bem aguçada para a podridão. Eu sei que a minha natureza humana gosta de tomar parte nessas carniças do falar mal dos outros, passando-me por mais “sábio, puro e zeloso”. Por isso conto com a sua discrição ao me poupar de participar dessa maligna agenda.

Fico grato também, se você deixar de fora outros irmãozinhos, que, como Daniel na Babilônia, que preferia alimentar-se de uma comida simples e saudável aos olhos de Deus, do que ficar banqueteando-se com os pratos sujos da Babilônia.

Quem sabe se você também não poderia ficar de fora desse ajuntamento de abutres ávidos por cadáveres em putrefação? Saia dessa orgia infernal, e venha participar do festival de louvor a Deus, dizendo como Davi:

"Quanto aos santos que há na terra, são eles os notáveis, nos quais tenho todo o meu prazer." - Salmo 16.2

Sou ainda um principiante nessa escola da graça, mas tenho dado graças ao SENHOR meu Deus por aprender a louvar e bendizer.

Estou apenas sugerindo a você: matricule-se no discipulado de Jesus e aprenda dele a falar a linguagem da elite dos eleitos que foram libertados pela obra da cruz de Cristo.

Espero por você no Salão de Entrada da Universidade da Alegria e do Louvor. Seja bem-vindo!

Texto adaptado do Pr. Glênio Fonseca, ancião e experiente pastor, pelo Pr. José Nogueira. Se você achou a linguagem pesada, leia as exortações do irmão Tiago, em seu livro, capítulo 3.


Fonte:www.crentes.net

O meu Cristo

Neste mundo há muitos Cristos, de muitas formas, de várias cores e de vários tamanhos, Cristos inventados, Cristos moldados, Cristos tristes, Cristos desfigurados.

Há Cristos para cada gosto, cada objetivo, cada projeto.

Há o Cristo das belas artes, um motivo como tantos outros para expressar uma forma ou exibir uma escola, pelo próprio homem criada. É o Cristo só para se ver, analisar ou criticar, para exaltar o autor, o seu talento, sua invencionice.

Há o Cristo da literatura, da prosa, do verso, da fama, do etilo famoso, do bestseller. É o Cristo de pretexto, que serve de texto dentro de um contexto, que ajuda o seu autor a faturar mais, ser mais lido e procurado.

Há o Cristo das cantigas, deturpado, maltratado e irreverentemente tratado. Aparece na crista das ondas, estoura nas paradas. É cantado nos salões e circula aos milhões como mercadoria para enriquecer a muitos. É o Cristo de algibeira, fabricado como produto de consumo.

Há até o Cristo do cinema e do teatro, sucesso absoluto de bilheteria. É a expressão da arte moderna fazendo a caricatura do maior personagem da história. É o Cristo musicado, martirizado, encenado. É o Cristo para o espetáculo, para os olhos, para os ouvidos, para o lazer, para a higiene mental.

Há o Cristo do crucifixo, de pedra, de mármore, de madeira, de metal, de ouro e até mesmo de cristal. É o Cristo para a aparência, para o colo da mocinha, para o peito piloso do rapaz excêntrico. É apenas ornamento ou simples decoração, embora, alguns lhe prestem culto, ele não vê, não ouve e não entende.

Há, também, infelizmente, o Cristo de certos cristãos que ainda o tem no túmulo, e ainda conservado na tumba dura e fria. É o Cristo que não vive porque os seus adoradores ainda estão mortos, sem despertar para a vida nova, a vida do próprio Cristo, da qual, ainda, lamentavelmente, não se apossaram.

O meu Cristo não é nenhum desses! O meu Cristo é o Filho de Deus que nasceu, cresceu e sofreu, foi condenado à morte e sepultado por causa dos meus pecados. O meu Cristo não ficou preso na sepultura escura! Ele ressuscitou, subiu ao céu e reina à direita do Pai!

O meu Cristo é cultuado, admirado e adorado porque está vivo e bem vivo! Meu Cristo vive nas parábolas que proferiu! O meu Cristo vive nos ensinos que deixou! O meu Cristo vive nos atos que realizou! O meu Cristo vive nas almas que salvou!

O meu Cristo vive, não tenho dúvidas, porque o meu Cristo vive em mim!

Autor: Jonathas Braga

Fonte: www.crentes.net

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Calouros da Mackenzie ganham Kit com Bíblia

Os calouros da Universidade Presbiteriana Mackenzie ganharam no segundo dia de aulas um kit contendo mochila e uma Bíblia com o logotipo da instituição.

“É desejo do Mackenzie que você encontre aqui não só conhecimento humano, mas que você conheça a Deus, relacione-se com ele e encontre alegria nesse relacionamento”, diz a universidade no texto de apresentação.

Além do Antigo e do Novo Testamento, o livro, em formato de bolso, traz informações sobre a Igreja Presbiteriana do Brasil, que controla o instituto responsável pelo colégio e pela universidade – descrita como “cristã, fiel à cosmovisão reformada e, ao mesmo tempo, comprometida com um ensino de qualidade, em ambiente de liberdade acadêmica e ausência de discriminação”.

Deputados evangélicos resistem à Frente LGBT

Religiosos não querem a homofobia, por exemplo, discutida em uma frente específica na Assembleia Legislativa de Pernambuco.

A batalha pelo voto entre evangélicos e não evangélicos, que ganhou força nas eleições de outubro, vai se repetir, agora, no plenário da Assembleia Legislativa. Os parlamentares ligados às igrejas protestantes prometem derrubar todas as bandeiras levantadas pela Frente pela Cidadania LGBT (lésbicas, gays e transgêneros) cujo funcionamento foi oficializado ontem.

Daniel Coelho (PV), líder da Frente, prefere ´não crer` que haverá contraposições de debates, principalmente nas questões que envolvam homofobia. ´Quando você debate as questões homofóbicas você também debate a família, porque os homossexuais podem constituir família. Então eu não vejo o porquê desse antagonismo que apresentaram`, salientou Coelho, referindo-se à resistência à formação da Frente demonstrada pelo deputado do PSC, Cleiton Collins (foto), pastor evangélico e recordista de votos nas urnas em outubro.

Coelho ressaltou que é importante levantar ´essa bandeira` para que não se repitam casos comoo de duas jovens lésbicas agredidas na terça-feira porque se beijavam em uma festa em Natal. ´Da mesma forma que há delegacia para a mulher e para a criança, queremos uma delegacia para tratar de crimes e agressões homofóbicas`, defendeu o parlamentar. O tema será um dos primeiros a serem debatidos na Frente.

A oficialização da Frente pela Cidadania LGBT sofreu forte resistência da bancada evangélica, composta por cinco deputados. Já está marcado para hoje a primeira reunião da Frente da Família como uma espécie de resistência à Frente LGBT. ´A Frente da Família é um contraponto à LGBT`, disse Collins, que vai liderar o grupo. O parlamentar promete questionar as proposições que, ao ver da bancada evangélica, sejam ´contra a família`, como a união entre homossexuais. O parlamentar lembrou que fará isso pois ´tem compromisso com os eleitores`, principalmente os evangélicos.

O presbítero Adalto (PSB), também evangélico - o segundo lugar nas urnas em outubro - fez promessa semelhante. ´Certamente haverá conflito.Toda vez que alguém subir à tribuna para levantar a bandeira do homossexualismo nós vamos defender a família`, disse. O presbítero disse que ´não vê com bons olhos` a discussão das questões homossexuais de maneira separada. ´Elas poderiam ser discutidas dentro da Comissão de Cidadania. Não há necessidade de um tratamento especial para o tema.`

O cientista político Robinson Cavalcanti vê como normal o ´barulho` que o tema provocou. ´Por séculos, concebeu-se a família como a união do homem com a mulher. As reivindicações homossexuais são recentes e o que vimos na Assembleia é um eco dos conflitos que elas causaram na sociedade`, argumentou. O também cientista político Túlio Velho Barreto acrescentou que o debate resulta da exigência dos eleitores evangélicos. ´É legítimo que o deputado defenda os interesses da sua base eleitoral, seja evangélica ou homossexual`. Mas Barreto acredita que isso não deve ´ultrapassar a discussão de direitos`, sem invadir questões morais que fugiriam à perspectiva da atuação parlamentar.

Deputados querem visibilidade para ações

Eles cresceram na Casa Joaquim Nabuco ao saltarem de três para cinco deputados estaduais. Juntos, respondem hoje por 366.777 votos e formam a bancada evangélica da Assembleia. Na união em torno da Frente Parlamentar da Família, viram um meio de garantir espaço e ´força oficial`, como define o líder do grupo, o pastor Cleiton Collins (PTC). ´A bancada evangélica não tem representação constitucional. Já com a Frente passamos a ter direitos e ganhamos espaço para discutir e enfrentar questões polêmicas`, argumentou.

A Frente da Família atende à representação do segmento evangélica e, como consequência, já anunciou que vai se contrapor à Frente LGBT, aprovada nesta semana sob forte resistência da bancada dos cinco deputados. Porém, não são apenas eles. A Frente da Família também conta com a participação de parlamentares assumidamente católicos como o deputado Eriberto Medeiros (PTC).

Collins levantou ainda um outro porquê para a criação dessa Frente, e este sem conotações religiosas. Segundo ele, toda a bancada evangélica é composta por governistas, enquanto a Comissão de Cidadania, responsável pelos temas sociais, é presidida por Betinho Gomes (PSDB), da oposição. Sem a Frente, as propostas vindas de parlamentares do grupo poderiam ser barradas na comissão por questões ´meramente políticas`.

As duas frentes também foram criadas na legislatura passada. A LGBT tinha a liderança de Isaltino Nascimento (PT), atualmente secretário estadual de Transportes. Ele relembra, apesar de tratar questões polêmicas como união homofóbica, o diálogo foi permanente entre elas, não havendo o tumulto presenciado na Assembleia nesta semana. ´Eu fazia parte das duas frentes, porque acredito que qualquer forma de preconceito está ultrapassado`, disse.

Na análise do sociólogo e cientista político Délio Mendes, o embate entre conservadores e progressistas é histórico. ´Questões de comportamento sempre foram motivo de discussão, desde a Idade Média. Considero importante que secriem essas Frentes para que tenhamos uma sociedade saudável e democrática. O estado é laico e por isso cabe dentro dele posições antagônicas.`

Fonte: Diário de Pernambuco

Está Insuportável!

Perdoem-me, irmãos, eu confesso a tão aguardada confissão de minha boca. Sim, eu confesso que não posso mais deixar de declarar a minha alma. Para mim é questão de vida ou morte. Perdoem-me, irmãos, mas eu preciso confessar.

Sim, eu confesso. Está insuportável. Se eu não abrir a minha boca, minha alma explodirá em mim.

É insuportável ligar a televisão e ver o culto que se faz ao Monte Sinai, que gera para escravidão. Os Gálatas são o nosso jardim da infância. Nós nos tornamos PHDs do retrocesso à Lei e aos sacrifícios. Pisa-se sobre a Cruz de Cristo em nome de Jesus. Insuportável! Seja anátema!

É insuportável ver o culto à fé na fé, e também assistir descarados convites feitos em nome de Deus para que se façam novos sacrifícios, visto que o de Jesus não foi suficiente, e Deus só atende se alguém fizer voto de freqüência ao templo, e de dinheiro aos sacerdotes do engano e da ganância. Insuportável!

É insuportável assistir ao silêncio de todos os dantes protestantes—e que até hoje ofendem os cultos afro-ameríndios por seus sacrifícios, sendo que estes ainda têm razão para sacrificar, visto que não confessam e não oram em nome de Jesus—ante o estelionato feito em e do nome de Jesus, quando se convida o povo para sacrificar a Deus, tornando o sacrifício de Jesus algo menor e dispensável. Insuportável!

É insuportável ver o povo sendo levado para debaixo do jugo da Lei quando se ressuscitam as maldições todas do Velho Testamento, e que morreram na Cruz, quando Jesus se fez maldição em nosso lugar. Insuportável!

É insuportável ver que para a maioria dos cristãos a Lei não morreu em Cristo, conforme a Palavra, visto que mantêm-na vigente como “mandamento de vida”, mas que apenas existe para gerar culpa e morte, também conforme a Escritura. Insuportável!

É insuportável ver e ouvir pastores tratando a Graça de Deus como se fosse uma parte da Revelação, como mais uma doutrina, sem discernir que não há nada, muito menos qualquer Revelação, se não houver sempre, antes, durante, depois, transcendentemente e imanentemente, Graça e apenas Graça. Misericórdia!

É insuportável ver a Bíblia sendo ensinada por cegos e que guiam outros cegos, visto que nem mesmo passaram da Bíblia como livro santo, desconhecendo a Revelação da Palavra da Graça do Evangelho de Deus. Insuportável tristeza!

É insuportável ver que os cristãos “acreditam em Deus”, sem saber que nada fazem mais que os demônios quando assim professam, posto que não estamos nesta vida para reconhecer que Deus existe, mas para amá-Lo e conhecê-Lo. Insuportável desperdício!

É insuportável enxergar que a mensagem do Evangelho foi transformada em guia religioso, no manual da verdade dos cristãos, mais uma doutrina da Terra. Insuportável humilhação!

É insuportável ver os que pensam que possuem a doutrina certa jamais terem a coragem de tentar vivê-la como mergulho existencial de plena confiança, mas tão somente como guia de bons costumes e de elevados padrões morais. Insuportável religiosidade!

É insuportável ver gente tentando “estudar Deus”, e a ensinar aos outros a “anatomia do divino”, ou a buscar analisar Deus como parte de um processo, no qual Deus está aprendendo junto conosco, não sabendo tais mestres que são apenas fabricantes de ídolos psicológicos. Insuportável sutileza!

É insuportável ver que há muitos que sabem, mas que nada dizem; vêem, mas nada demonstram; discernem, mas em nada confrontam; conhecem, mas tratam como se nada tivesse conseqüências… Insuportável…

É insuportável ver que se prega o método de crescimento de igreja, não a Palavra; que se convida para a igreja, não mais para Jesus; e que a cada cinco anos toda a moda da igreja muda, conforme o que chamam de “novo mover”. Insuportável vazio!

É insuportável ouvir pastores dizendo que o que você diz é verdade, mas que eles não têm coragem de botar a cara para apanhar, mesmo que seja pela verdade e pela justiça do evangelho do reino de Deus. Insuportável dissimulação!

É insuportável ver um monte de homens e mulheres velhos e adultos brincando com o nome de Deus, posando de pastores, pastoras, bispos, bispas, apóstolos e apostolas, sendo que eles mesmos não se enxergam, e não percebem o espetáculo patético no qual se tornaram, e o ridículo de suas aspirações messiânicas estereotipadas e vazias do Espírito. Insuportável jactância e loucura!

É insuportável ver Jesus sendo tratado como “poder maior” e não como único poder verdadeiro. Insuportável idolatria!

É insuportável ver o diabo ser glorificado pela freqüência com a qual se menciona o seu nome nos cultos, sendo que Paulo dele falou menos de uma dúzia de vezes em todas as suas cartas, e as alusões que Jesus fez a ele foram mínimas. No entanto, entre nós o diabo está entronizado como o inimigo de Cristo e o Senhor das Culpas e Medos. E, assim, pela freqüência com a qual ele é mencionado, ele é crido; e seu poder cresce na alma dos humanos, a maioria dos quais sabe apenas do Medo da Lei, e nada acerca da Total Libertação que temos da Lei e do diabo na Graça de Jesus, que o despojou na Cruz. Insuportável culto!

É insuportável ver seres humanos sendo jogados fora do lugar de culto por causa de comida, bebida, cigarro, roupa, sexualidade, ou catástrofes de existência. Isto enquanto se alimenta o povo com maldade, inveja, mentira, politicagem, facções, e maldições. Insuportável é coar o mosquito e engolir o camelo!

É chegada a hora do juízo sobre a Casa de Deus!

De Deus não se zomba, pois aquilo que o homem semear, isto também ceifará. A eternidade está às portas. Então todos saberão que não minto, mas falo a verdade, conforme a Palavra do Evangelho de Jesus.

Com tremor e temor, porém certo da verdade de Jesus, Caio Fábio.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Enoque Andou com Deus Gn 5.24

Vivemos no meio de uma geração que tem sido formada por um tipo de “evangelho fácil”!
a. Sem arrependimento
b. Sem compromisso (um Jesus em “promoção”)
c. Sem profundidade
d. Sem transformação e sem poder (plenitude).
e. Sem santidade

Mas Deus chama homens e mulheres (jovens) para andar com Ele. Não é um andar na carne e nem numa dimensão física, mas andar no espírito, numa dimensão sobrenatural.

1º “ANDOU ENOQUE COM DEUS”

1. Pv 30.18,19ª: “Há três coisas que são maravilhosas demais para mim, sim, há quatro que não entendo: o caminho da águia no céu…”

a. O caminho da águia no céu é mais alto do que o pensamento do sábio! Está acima da compreensão humana que é limitada.
b. Esse caminho é um caminhar no sobrenatural. Assim como a águia, fomos feitos para as “alturas”!
c. É um caminho nas alturas, acima de qualquer tempestade ou predador. Esse caminho permite à águia ter uma visão aguçada e sensível.
d. A águia faz o seu ninho nas mais altas rochas (Jó 39.27). A águia só vê o mundo da perspectiva de quem está em cima! Assim é quando andamos com Deus!!

2. Esse andar significa caminhar com Deus diariamente (365 dias por ano) – Gn 5.23 “ E foram todos os dias de Enoque trezentos e sessenta e cinco anos.”

3. Sl 103:7: “Manifestou os seus caminhos a Moisés e os seus feitos aos filhos de Israel” – Moisés descobriu os “caminhos” de Deus e andou neles.

Os “feitos” tem a ver com aquilo que Deus Faz (suas mãos);
Os “caminhos” tem a ver com aquilo que Deus é (sua face).

4. Andar com Deus não significa em clausura ou isolamento, mas ter intimidade com Ele, mesmo vivendo em um mundo iníquo .Noé: Gn 6.1-9 “Estas são as gerações de Noé. Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus.”

5. Não significa que o caminho será fácil, mas que continuarei a andar com Ele mesmo entre os espinhos e os obstáculos.

6. Andar com Deus implica em caminhar com a consciência/ compreensão que estou na presença d’Ele 24 horas por dia:
Abraão: Gn 24.40: “Ele me disse: O SENHOR, em cuja presença eu ando…” Gn 17:1: “Quando atingiu Abrão a idade de noventa e nove anos, apareceu-lhe o SENHOR e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda na minha presença e sê perfeito”.

2º. “E JÁ NÃO ERA”

1. Quando andamos com Deus, já não existimos mais.

Diminuímos até que Deus nos toma para si.

João Batista:
Jo 3:30: “Convém que ele cresça e que eu diminua”
Mt 11:11: “Em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista…”

a. Foi porque João aprendeu a diminuir quando Jesus o chamou de o “maior” entre os nascidos de mulher.
b. No meio de uma geração onde muitos procuram “brilhar”, Deus procura homens e mulheres que manifestem apenas a glória de Cristo.

Paulo:
Gl 2.19b,20. A cruz apaga a glória do homem e faz resplandecer a glória de Deus: “já não sou eu”!!Revista e corrigida:
Gn 5:24: “E andou Enoque com Deus; e não se viu [mais,] porquanto Deus [para si] o tomou”

3º. “PORQUE DEUS O TOMOU PARA SI”

1. Andar com Deus significa que aprofundamos a nossa intimidade com Ele a tal ponto, que Ele aproxima-nos da Sua presença.

a. Intimidade com Deus.

2. Creio que além do sentido literal que essa declaração tem, espiritualmente, quando caminhamos com Deus, Ele traz-nos para perto d’Ele a fim de ocuparmos um lugar de intimidade.

CONCLUSÃO

Sl 143:7: “Dá-te pressa, SENHOR, em responder-me; o espírito me desfalece; não me escondas a tua face, para que eu não me torne como os que baixam à cova”

FONTE:estudos.gospelmais.com.br

João Crisóstomo – 407 d.C.

João Crisóstomo é conhecido pela Cristandade como um grande pregador, teólogo e liturgo. Há quem diga que ele foi o maior pregador cristão que já falou numa igreja grega. Seu sobrenome – Crisóstomo – vem do grego chrisostomos, que significa “boca de ouro”. Ele ficou famoso por sua eloquência na pregação e em falas públicas, bem como por denunciar abusos tanto por parte de clérigos quanto de líderes políticos.

Aos 23 anos, ele resolveu abandonar a carreira de advogado e se tornar monge. Ele foi ordenado sacerdote em 386. Durante os doze anos de seu ministério em Antioquia, ele ganhou popularidade por sua eloquência como pregador e como orador, especialmente por suas exposições claras de passagens da Bíblia e por sua pregação moral.

Crisóstomo enfatizava a necessidade de fazer caridade e demonstrava preocupação com as necessidades espirituais e temporais dos pobres. Ele também falava contra os abusos no que se refere às riquezas e as posses. Sua compreensão clara das Escrituras fazia que os temas de suas prédicas fossem muito práticos, e ele explicava a aplicabilidade da Bíblia nos assuntos do dia a dia.

Quando Cristóstomo tinha 49 anos, sua imensa popularidade levou-o a ser indicado como Patriarca de Constantinopla. Todavia, sua vida como patriarca assumiu um rumo tumultuoso quando sua campanha contra os excessos e a opulência ofendeu muitos dos ricos da nobreza e do clero.

Teófilo, Patriarca de Alexandria, se opôs ao fato de Crisóstomo se alinhar aos ensinos de Orígenes. Outra oponente de Crisóstomo foi Eudóxia, esposa do Imperador Arcádio. Eudóxia se ofendeu pessoalmente com algumas das denúncias de Crisóstomo contra a extravagância. Em um de seus sermões, ele comparou Eudóxia a Herodias e a Salomé, que contribuíram para a execução de João Batista.

Os inimigos de Crisóstomo, incluindo Teófilo e Eudóxia, conspiraram contra ele. Eles reuniram um concílio em 403 que resultou em seu banimento para o Cáucaso, na Armênia. Apesar de sua expulsão, Crisóstomo continuou a escrever cartas que exerciam grande influência em Constantinopla. Tempos depois ele acabou sendo enviado para o exílio em Pitsunda (Geórgia), mas morreu na viagem, e nunca alcançou seu destino. Afirma-se que suas últimas palavras foram “Glória seja ao Deus de todas as coisas”.

Fontes: www.chrysostom.org, ocafs.oca.org

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

MARTIN LUTHER KING O MENSAGEIRO DA JUSTIÇA E DA PAZ

Ela era uma costureira. Não era uma jovem, nos seus 42 anos de idade.
Como sempre fazia, subiu no ônibus, de volta para casa.
Mas naquele dia ela fez diferente. Todos os negros eram obrigados a ceder seu lugar se chegasse um branco.
Ela estava cansada e naquele dia Rosa Parks não cedeu seu lugar, quando o motorista lhe ordenou que o fizesse.
Mas a lei era clara. Aquilo era crime e ela foi presa.
Os negros se revoltaram e resolver fazer um boicote aos ônibus: daquele dia em dia nenhum negro viajaria nos ônibus da cidade. Durante 381 dias ninguém furou o boicote.
O principal líder do movimento era um negro, pastor batista de 26 anos de idade.
Ele também foi preso e logo o mundo inteiro passou a respeitar seu nome: Martin Luther King, Jr.
Seu pai também era um pastor.
Após o movimento que liderou contra a segregação racial nos ônibus, sua vida esteve sempre em perigo. A primeira ameaça foi uma bomba jogada na varanda de sua casa. Mesmo correndo risco de vida, não parou.
Entre os fatos marcantes da sua vida está uma marcha em direção Washington, capital dos Estados Unidos, da qual participaram milhares de pessoas. Numa das escadarias da cidade, prega o seu mais famoso sermão (`Eu tenho um sonho'), onde manifestava o desejo de que um dia brancos e negros seriam iguais.
Este sonho lhe custou caro: foi preso várias vezes, foi esfaqueado na rua, foi torturado na cadeia.
A causa dos negros foi sua principal luta, mas não a única. Ele também liderou movimentos contra a presença dos Estados Unidos na guerra do Vietnã.
Ganhou o Prêmio Nobel da Paz por todas as suas lutas pela não-violência.
Seu método fez com que muitos brancos participassem de suas lutas. Como resultado, as leis racistas norte-americanas foram caindo uma a uma. Hoje, naquele país, brancos e pretos são iguais perante a lei.
King estava certo de que `a liberdade jamais é dada voluntariamente pelos opressores' e que esta `deve ser exigida pelos opressores'. Ao seu ver, esta conquista devia ser feita não pela força das armas, mas pela força da paz. Seu método, aprendido com Jesus Cristo e reaprendido com Ghandi, da Índia, era o da não-violência.
E o que a não-violência?
1. A não-violência é a vereda do forte, não um método de covardia;
2. O alvo da não-violência é sempre a redenção e a reconciliação, não humilhar e desafiar o adversário, mas ganhar a amizade e a compreensão do inimigo;
3. A não-violência é direcionada, não contra as pessoas que praticam o mal, mas contras as forças do mal, contra a injustiça, e não contra as pessoas;
4. o sofrimento redentivo assume que há poder social, cultural, político e econômico na não cooperação, mas o poder moral no sofrimento voluntário em prol dos outros;
5. Ágape (amor incondicional, não egoísta para com o semelhante -- um dom de Deus) supõe que o homem não-violento deve evitar a violência física externa, e a violência espiritual interna; deve recusar-se a odiar o adversário, e isso só pode acontecer quando amor ético está projetado no centro da vida de alguém;
6. o universo, a dinâmica da história, está ao lado da justiça e da paz. No longo percurso, a verdade prevalecerá e haverá uma totalidade universal harmoniosa.
Este crente na não-violência foi silenciado pela violência, quando um homem branco o fuzilou, quando ele estava na sacada de um hotel. Tinha 39 anos de idade.
Dois meses antes de morrer, pregou na igreja onde era co-pastor do pai, que gostaria que dissessem dele basicamente que foi um mensageiro. `Digam que fui um mensageiro da justiça. Digam que fui um mensageiro da paz. Que fui um mensageiro da retidão'.
Sobre este mártir da justiça, o pastor José dos Reis Pereira escreveu o seguinte:
`Em Martin Luther King Jr. vejo o amor em ação. Não o amor téorico. Amor na prática. Ele amava seus irmãos de raça por cuja liberdade lutava; mas amava também os brancos que os oprimiam. O movimento que lançou se baseava na não-violência.
(...)
Foi um cristão que viveu cristãmente. Um cristão que se empenhou numa luta considerada por muitos impossível, mas venceu aplicando métodos cristãos, pois o Cristianismo verdadeiro opõe-se à violência'
.
Todos nós, cristãos que amamos a justiça, devemos muito ao martírio desse batista chamado Martin Luther King, Jr.

PRINCIPAIS MOMENTOS
Nome: Martin Luther King, Jr.
Nascimento: 1929
País: Estados Unidos
Cidades: Atlanta, Montgomery
Morte: 1968
Forma: assassinato a bala
Livros: `Marchando em direção à liberdade', `Força para amar', `Não podemos esperar', `Para onde iremos: para o caos ou para a comunidade?'
[Fatos relevantes:
1955: lidera o boicote contra os ônibus;
1958: é esfaqueado no peito;
1959: visita a Índia, para conhecer melhor o pensamento de Ghandi;
1963: marcha sobre Washington;
1964: recebe o Nobel da Paz;
1966: protesta contra a guerra do Vietnã;
1968: é assassinado.]

PENSAMENTO
"Se puder ajudar aguém à minha passagem, se puder alegrar alguém com uma palavra ou canção, se puder mostrar a alguém que está andando errado, não terei vivido em vão;
se puder cumprir o meu dever de cristão. Se puder levar a salvação ao mundo ontem arrasado;
se puder difundir a mensagem como o Mestre o ensinou,
então a minha vida não terá sido em vão".

"A nossa luta em prol da justiça racial é baseada nessa espécie deamor. Não podemos jamais desistir. Temos de trabalhar apaixonada e infatigavelmente pela cidadania de primeira classe. Não podemos nunca contemporizar na nossa determinação de remover todos os vestígios de segregação e discriminação no nosso país, mas tampouco podemos abrir mão do nosso privilégio de amar.
Tenho visto demasiado ódio para querer odiar.
Temos de poder dizer aos nossos mais fanáticos opositores:
-- Igualaremos a vossa capacidade infligir sofrimento com a nossa capacidade de suportá-lo. Enfrentaremos a vossa força física com a nossa força moral. Fazei o que quiserdes e continuaremos a amar-vos. Não podemos, em boa consciência, obedecer às vossas leis injustas e acatar o vosso injusto sistema, porque a não-cooperação com o mal é tanto uma obrigação moral quando a cooperação com o bem. (...) Ficai certos de que a nossa capacidade de sofrer triunfará e um dia conquistaremos a nossa liberdade. Não só conquistaremos a liberdade para nós, mas apelaremos de tal maneira ao vosso coração e à vossa consciência, que também vos conquistaremos e a nossa vitória será dupla".

"América, tu te transviaste. Tu calcaste aos pés dez milhões de teus filhos. Todos os homens são criados iguais. Não alguns homens. Não os homens brancos. Todos os homens. América, levanta-te e regressa ao lar".

ISRAEL BELO DE AZEVEDO
FONTE:www.prazerdapalavra.com.br

O POTE RACHADO

Conta-se a história de um trabalhador pobre que ganhava a vida transportando água para os seus vizinhos. Para isto ele usava dois potes, que pendurava nas pontas de uma vara. Um dos potes , contudo, tinha uma pequena rachadura, de maneira que quando o carregador chegava ao lugar onde devia entregar a água, uma grande parte dela se perdera pelo caminho.

Isto durou muito tempo, até que, um dia, o pote rachado ficou tão envergonhado por perder tanta água, que falou ao seu dono: “Sinto-me tão incompetente e tão incapaz por perder tanta água. Estou frustrado e humilhado por não ser como o outro pote e prestar a você um serviço completo. Sempre que você chega ao destino só consigo fornecer metade da água que tinha ao começar a viagem. Sinto-me tão inútil!”.

Ao ouvir estas palavras, o carregador de água disse ao pote rachado: “Infelizmente você tem estado tão preocupado em reter a água, lutando contra o problema da rachadura, que não tem reparado numa coisa maravilhosa que aconteceu durante todo este tempo. Mas venha, que eu lhe mostrarei”.

O carregador de água foi com o pote até a fonte onde apanhava água diariamente, e começou a percorrer lentamente o caminho que fazia todos os dias, mostrando-lhe as belíssimas flores que ficavam à margem do caminho. Finalmente disse-lhe: “Está vendo estas flores? Elas são regadas várias vezes ao dia pela água que vasa da sua rachadura, por isso estão tão bonitas! Se não fosse essa rachadura, não haveria flores à beira da estrada, a alegrar a vida dos que passam por aqui.”

Às vezes gastamos toda a nossa energia em verificar nossas deficiências e tentar superá-las. Por fim sentimo-nos frustrados e inúteis ao nos compararmos com outras pessoas que parecem ser muito mais bem sucedidas. E tão ocupados ficamos em tais esforços e pensamentos que esquecemos de reparar aquilo que está acontecendo em torno de nós: o fruto, às vezes inesperado, do nosso trabalho “limitado”; a alegria de Deus e dos nossos semelhantes pelo nosso esforço. Se você acha que é um pote rachado, repare nas margens do caminho!

FONTE:www.prazerdapalavra.com.br

Sociedade Bíblica é impedida de importar Bíblias

Na audiência de janeiro, e em sua ausência, a contadora da Sociedade Bíblica do Uzbequistão, Natalya Pitirimova, foi multada por violar os procedimentos sobre a importação de dois carregamentos de Bíblias e Bíblias infantis, em 2008 e 2010.

O Comitê de Assuntos Religiosos do Estado, que realiza a rigorosa censura no Uzbequistão de toda a literatura religiosa, tem-se recusado a liberar Bíblias, apesar dos apelos sucessivos de igrejas cristãs.

O juiz Dilshod Suleymanov também ordenou que a Sociedade Bíblica enviasse de volta para a Rússia o material - totalizando cerca de 15.000 exemplares - às próprias custas.

O juiz informou à agência Forum 18 News Service que a "Sociedade Bíblica não fez os pedidos [de recebimento] ao Comitê de Assuntos Religiosos no prazo, alegando que as igrejas no Uzbequistão precisavam da literatura. Portanto, como o tempo passou, esse procedimento violou os procedimentos da alfândega."

Funcionários do Ministério da Justiça disseram à Sociedade Bíblica que "não há necessidade de importação de Bíblias, já que no país há uma versão eletrônica na internet."

Tradução: Carla Priscilla Silva
Fonte:http://missoesmaranata.blogspot.com

DOAÇÃO DE SANGUE

Numa aldeia vietnamita, um orfanato dirigido por um grupo de missionários foi atingido por um bombardeio. Várias crianças tiveram morte instantânea. As demais ficaram muito feridas, entre elas, uma menina de oito anos, em estado grave.Ela precisava de sangue, urgentemente. Com um teste rápido descobriram seu tipo sangüíneo, mas, infelizmente, ninguém na equipe médica era compatível.

Chamaram os moradores da aldeia e, com a ajuda de uma intérprete, lhes explicaram o que estava acontecendo. A maioria não podia doar sangue, devido ao seu estado de saúde. Após testar o tipo sangüíneo dos poucos candidatos que restaram, constataram que somente um menino estava em condições de socorrê-la.

Deitaram-no numa cama ao lado da menina e espetaram-lhe uma agulha na veia. Ele se mantinha quietinho e com o olhar fixo no teto, enquanto seu sangue era coletado. Passado alguns momentos, ele deixou escapar um soluço e tapou o rosto com a mão que estava livre. O médico pediu para a intérprete perguntou a ele se estava doendo. Ele disse que não.

Mas não demorou muito, soluçou de novo e lágrimas correram por seu rostinho.

O médico ficou preocupado e pediu para a intérprete lhe perguntar o que estava acontecendo. A enfermeira conversou suavemente com ele e explicou para o médico porque ele estava chorando:
- Ele pensou que ia morrer. Não tinha entendido direito o que você disse e estava achando que ia ter que doar todo o seu sangue para a menina não morrer.

O médico se aproximou dele e com a ajuda da intérprete perguntou:
- Mas se era assim, porque então você se ofereceu para doar seu sangue?

- Porque ela é minha amiga
.

[Fato relatado como verídico]

Ninguém tem maior amor do que este,de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.
João 15.13


Autor desconhecido.
Extraído do livro: Textos Selecionados, elaborado pelo Instituto de Desenvolvimento do Potencial Humano - IDPH
Fonte: www.sitedopastor.com.br

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Você é muito especial

Você pode não ter sido planejado por seus pais, mas foi planejado por Deus. Sua vida não é um acidente. Ela tem um propósito sublime. Deus não precisava ter criado você, mas escolheu criar você, para que você fosse o seu deleite. Deus amou você e se afeiçoou de você antes mesmo de criar os céus e a terra. Ele nunca desistiu de você e por isso, atraiu você com cordas de amor e conquistou o seu coração. Deus adotou você em sua família. Agora, você é filho e herdeiro de Deus. Você é ramo da Videira verdadeira, ovelha do rebanho de Deus, templo da habitação de Deus, membro do corpo de Cristo, menina dos olhos de Deus, a herança de Deus e sua delícia.
Deus criou você para que você o conhecesse, o amasse e nele se deleitasse. Glorificar a Deus e desfrutar da sua intimidade é o maior propósito da sua vida. A busca do ter, a procura pelo sucesso e a sede de satisfazer seus desejos não é o verdadeiro propósito da sua existência. Você foi criado à imagem e semelhança de Deus e somente Deus pode preencher o vazio do seu coração. Coisas não satisfazem a sua alma. Ainda que você tivesse o mundo inteiro aos seus pés e pudesse tomar posse de todos os tesouros do mundo, sua alma ainda continuaria em extrema pobreza sem um relacionamento pessoal com Deus. Somente em Deus seu coração pode encontrar abrigo. Só nele você pode encontrar um porto seguro para a sua alma. Só nele há copiosa redenção. Adorar a Deus é a sua mais sublime vocação. Você foi criado para se deleitar em Deus.
Deus criou você também para que ele mesmo pudesse se deleitar em você. Você foi criado e remido para fazer Deus sorrir. Assim como o noivo se alegra com a sua noiva, assim o Senhor se alegra em você. Sua vida trás alegria para o coração de Deus quando você o ama sobre todas as coisas. Deus é digno de sua maior devoção. Ele merece o seu amor mais profundo. Você deve amá-lo mais do que a família, o dinheiro, a saúde e os amigos. Deus se alegra em você quando você confia nele completamente. Sem fé é impossível agradar a Deus. Ele tem prazer quando seus filhos crêem na sua palavra e se agarram em suas promessas fiéis. Deus tem prazer na sua vida quando você o obedece inteiramente. Devemos honrar a Deus não somente com nossas palavras, mas, sobretudo, com nossas vidas. Deus não busca adoração, mas adoradores que o adorem em espírito e em verdade. Deus sorri quando você o louva continuamente e usa os dons que ele lhe deu para a edificação do Corpo de Cristo.
Deus concedeu-nos o sublime privilégio de sermos seus filhos por adoção e também por natureza. Nascemos do Espírito e somos co-participantes da natureza divina. Além de servos do Deus Altíssimo, somos também seus amigos. Podemos ter íntima comunhão e livre acesso ao Deus soberano que governa os céus e a terra. Quando pecamos contra ele e desobedecemos a sua Palavra, seu perdão nos alcança e sua graça nos restaura. Quando nos sentimos fracos, ele nos fortalece. Quando caímos, ele nos levanta. Quando não temos mais forças para caminhar, ele nos carrega no colo. Ele é o nosso Pai, a fonte da nossa consolação, o nosso refúgio, a nossa alegria e a nossa maior recompensa. Devemos, portanto, nos gloriar não em nossa força, conhecimento, riqueza ou poder, mas em conhecer ao Senhor. Conhecê-lo, amá-lo e viver para o seu inteiro agrado deve ser a grande bandeira da nossa vida. O povo que conhece a Deus é forte e ativo. Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor!
Rev. Hernandes Dias Lopes.

A suprema importância da igreja

A igreja é o povo chamado do mundo para ser propriedade exclusiva de Deus. É o povo separado do pecado para viver em santidade, tirado das trevas para ser luz entre os povos. A igreja é o templo da habitação de Deus, a noiva do Cordeiro, a coluna e baluarte da verdade. A igreja de Deus transcende a qualquer denominação, cultura ou fronteira geográfica. Ela é composta de todos aqueles que foram salvos em Cristo, em todos os lugares, em todos os tempos, dentre todos os povos. Não há salvação fora dessa igreja. Por isso, falamos da igreja visível e da igreja invisível. A visível é composta de pessoas convertidas e não convertidas. Na igreja visível há trigo e joio. Mas, na igreja invisível só estão arrolados aqueles que foram lavados no sangue do Cordeiro, cujos nomes estão escritos no livro da vida.

Há várias figuras sobre a igreja nas Escrituras. Queremos, aqui, à luz de 1Coríntios 3.1-17, destacar três dessas importantes figuras:

1. A igreja é uma família (1Co 3.1-5) - A igreja é uma família, composta de crianças espirituais e também de pessoas adultas na fé. Aqueles que nascem de novo precisam crescer rumo à maturidade, até chegarem à plenitude da estatura de Cristo. O propósito dessa família é atingir a maturidade espiritual. E o instrumento que leva essa família ao amadurecimento na fé é a Palavra de Deus. A Palavra de Deus é vista como alimento, leite para as crianças e alimento sólido para os adultos. O apóstolo Paulo diz que onde há ciúmes e contendas há evidência de imaturidade espiritual (1Co 3.3). Onde há partidos e grupos há sinais claros de meninice espiritual (1Co 3.4). Onde há culto à personalidade não pode existir maturidade na fé (1Co 3.5). A igreja de Corinto estava dividida em vários grupos (1Co 1.10-13). Havia naquela igreja disputa entre esses grupos e até ciúmes entre os irmãos. Paulo diz que essas atitudes revelavam carnalidade e infantilidade espiritual (1Co 3.1-3). A igreja precisa ser uma família unida, com uma só mente, uma só alma, um só propósito. A família precisa crescer rumo à maturidade!

2. A igreja é uma lavoura (1Co 3.6-9a) – Paulo passa da metáfora da família para a figura da lavoura. A igreja é a lavoura de Deus, o campo de semeadura de Deus e o alvo da lavoura é a quantidade. Para alcançar esse propósito a Palavra de Deus é a semente. No processo do crescimento da lavoura três atividades são necessárias: o plantio, o cuidado e o crescimento. Paulo diz: "Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus" (1Co 3.6). Uma verdade bendita salta aos olhos aqui: a interação entre a ação humana e a divina. Paulo planta, Apolo rega e Deus dá o crescimento. Não há crescimento de uma lavoura que não foi plantada. Não basta plantar, é preciso regar. O trabalho humano, porém, embora vital, não pode por si mesmo produzir o crescimento da igreja. Essa é uma ação exclusiva de Deus. Só ele pode acrescentar à igreja os que são salvos.

3. A igreja é um santuário (1Co 3.9b-17) - Paulo depois de falar da igreja como uma família e uma lavoura, passa a falar dela como um santuário. Se o propósito da família é a maturidade e o alvo da lavoura é a quantidade, o propósito do santuário é a qualidade. O instrumento para edificar esse santuário é também a Palavra. Numa superposição de imagens, somos tanto os edificadores desse santuário (1Co 3.10) como o próprio santuário (1Co 3.16,17). Esse santuário tem um fundamento que não pode ser mudado. O fundamento é Cristo (1Co 3.11). Esse santuário precisa ser construído com material nobre e imperecível (1Co 3.12). Esse santuário, que somos nós, povo remido pelo sangue de Cristo, é a própria morada de Deus (1Co 3.16), e, por isso quem destruir esse santuário, que é sagrado, será destruído pelo próprio Senhor (1Co 3.17). Somos a família de Deus, a lavoura de Deus e o santuário de Deus. Que sejamos maduros na fé, frutificando em toda a boa obra, buscando fazer tudo com excelência para a glória de Deus.

Rev. Hernandes Dias Lopes

Semeadura e colheita

Estamos iniciando mais um ano. É tempo de novos sonhos e desafios. É tempo de investimento e semeadura. A vida é feita de escolhas e decisões. Se fizermos escolhas erradas e tomarmos a direção errada distanciar-nos-emos do alvo de Deus para nossa vida. Se fizermos uma semeadura errada, no campo errado, faremos também uma colheita errada. A lei da semeadura e da colheita é universal. Colhemos o que semeamos, e colhemos mais do que plantamos. Destacaremos alguns princípios para a nossa reflexão:

1. A semeadura exige um tempo de preparação. Antes de semear um campo, o agricultor prepara o terreno. Lançar a preciosa semente sem primeiro arar a terra é trabalhar para o desastre. Na parábola de Jesus, o semeador lançou a semente à beira do caminho, no chão batido e sem umidade. A semente não penetrou na terra e por isso, as aves dos céus vieram e comeram-na. Lançou também a semente no terreno pedregoso e a semente até nasceu, mas por falta de umidade, mais tarde secou. De igual forma, semeou no meio dos espinheiros e a semente ao nascer foi sufocada, e mirrada, não produziu frutos. Apenas a semente que caiu na boa terra frutificou a trinta, a sessenta e a cem por um. Nós somos os semeadores e também o campo onde a semente é lançada. Precisamos preparar nosso coração para receber essa divina semente!

2. A semeadura exige esforço e sacrifício. O salmista diz que quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo trazendo os seus feixes. Muitas vezes devemos umedecer o solo duro com as nossas próprias lágrimas. Semear não é coisa fácil: exige preparo, esforço e sacrifício. Para semear precisamos sair e nos desinstalar do nosso comodismo. Às vezes, nessa semeadura nós encontramos toda sorte de resistência. Na parábola do semeador a semente foi atacada pelos seres espirituais, racionais e irracionais. O diabo, os homens, as aves, os espinhos e as pedras conspiraram contra a semente. O diabo rouba, os homens pisam, as aves arrebatam, os espinhos picam e as pedras ferem a semente. É por isso, que a semeadura, muitas vezes, arranca lágrimas dos nossos olhos. Mas, o semeador não desiste por causa do sacrifício da semeadura, ele sai andando e chorando enquanto semeia pela certeza de que a colheita é certa, abundante e feliz.

3. A semeadura determinada a colheita. Nós colhemos o que semeamos. A colheita é da mesma natureza da semeadura. Aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Quem semeia amizade, colhe afeto. Quem semeia amor, colhe simpatia. Quem semeia bondade, colhe misericórdia. Quem semeia no Espírito, do Espírito colhe vida eterna; mas quem semeia na carne, da carne colhe corrupção. Não podemos colher figos de espinheiros. A colheita não é apenas da mesma natureza da semeadura, mas também mais numerosa que a semeadura. Quem muito semeia, com abundância ceifará. Quem semeia ventos colhe tempestade. A semeadura é apenas um vento, mas a colheita é uma tempestade. Nossas palavras e ações são sementes que se multiplicam para o bem ou para o mal. Precisamos ser criteriosos na escolha das sementes. Estamos entrando pelos portais de mais um ano. Que tipo de semente nós vamos semear, em nossa vida, em nossa família e em nossa igreja? Que tipo de semeadura nós teremos em nossos estudos, em nossos relacionamentos e em nosso trabalho? Como será nossa semeadura em nossa vida espiritual? Que Deus nos ajude a semearmos com alegria e com abundância no campo certo, usando as sementes certas, para colhermos os frutos certos. Nós somos a lavoura de Deus e ele espera de nós muitos frutos, pois é assim que ele é glorificado!

Rev.Hernandes Dias Lopes

Agências cristãs trabalham na Nova Zelândia após terremoto

A Visão Mundial está oferecendo apoio prático para o Exército da Salvação que trabalha no terreno.

Duas das maiores agências cristãs do mundo de ajuda humanitária estão trabalhando juntas para responder ao terrremoto de magnitude 6,3 que atingiu a segunda maior cidade da Nova Zelândia, na terça-feira, matando pelo menos 65 pessoas.

O poderoso terremoto atingiu a cidade durante o horário de almoço, derrubando edifícios altos, dividindo rodovias de concreto, e queda da torre icônica da Catedral Christchurch na praça central. O terremoto de terça-feira é um dos piores disastres naturais do país.

“Nós temos estado em comunicação com nossos colegas de Nova Zelândia desde o terremoto,” disse o diretor executivo da Visão Mundial da Austrália, Tim Costelho. “A Visão Mundial da Nova Zelândia ofereceu apoio prático para o Exército da Salvação que está trabalhando no terreno.”

Costelho disse que as principais preocupações do grupo no momento são as crianças da Christchuch que podem estar traumatizadas pelo terremoto.

“Nosso escritório da Nova Zelândia fez parceria com a agência de parentalidade Parents Inc. para distribuir um guia prático para aqueles que estão cuidando das crianças durante este tempo,” observou Costello.

Até o momento, 13 dos 14 trabalhadores do escritório da Visão Mundial na Christchurch foram contabilizados.

Open in new windowEste é o segundo maior terrremoto que já atingiu a Christchurch nos últimos seis meses. Em setembro passado, a Christchurch sofreu com um terremoto de 7,1 de magnitude que causou um dando estimado de $3 bilhões, mas sem mortes.

Pelo menos 100 pessoas, incluindo estudantes, estariam presas sob os escombros, de acordo com a Associated Press.

“Foi horrível. As pessoas estavam cobertas de entulho, cobertas de diversas toneladas de concreto,” disse Nathanael Boehm, um web designer e testemunha do terremoto, para Boehm da AP que adicionou que ele acha que algumas das pessoas foram esmagadas pelos escombros até a morte.

O aeroporto em Christchurch está fechado, e a eletricidade e as linhas telefônicas foram derrubadas. Além disso, alguns canos de água explodiram, causando inundação nas ruas.

Equipes de resgate estão no momento trabalhando para salvar as pessoas debaixo dos edifícios colapsados.

“É apenas uma cena de devastação,” disse o Primeiro Ministro Jhon Key para o 3 News da Nova Zelândia. “Nós podemos estar testemunhando o dia mais negro da Nova Zelândia.”

Fonte: Christian Post

Deputado Marco Feliciano quer implantar ensino religioso

O deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), apresentou no dia 09, o projeto de Lei n° 309/2011, instituindo o ensino religioso obrigatório nas escolas públicas.

O deputado foca a sua atuação numa campanha que pretende atingir todas as pessoas que se preocupam com a formação básica da primeira infância e dá o nome a ela de “Papai do Céu na Escola”.

Sem desrespeitar os demais seguimentos religiosos, o deputado diz ter cuidado para não fazer proselitismo religioso. Citando o texto bíblico do livro de Provérbios 22:6, Feliciano defende a importância do ensino religioso nas escolas, justificando-se conhecer a existência de matéria nos currículos escolares, porém agora, tornando matéria obrigatória nos Curriculos Escolares do Ensino Fundamental, circunstância de que o ensino religioso é a base histórica dos princípios morais e éticos da sociedade.

O deputado ainda faz lembrar que todos os países que embora laicos não preservaram tais ensinamentos, tiveram que fazer o controle da ordem social com ditaduras das mais sanguinárias.

Em discurso feito cita o romancista russo Fiodor Dostoievski ao dizer: “Há, no homem, um vazio do tamanho de Deus”, e disserta: “O homem pode até tentar preencher o vazio de sua vida com outras coisas, mas isso jamais será suficiente para que alcance sua plenitude”.

Sobre a falta da disposição do tempo dos pais para praticarem o ensino da fé em Deus aos seus filhos e sobre a banalização da vida, o deputado argumenta. "Crianças estão sendo vítimas de overdose de drogas dentro das escolas, o crack esta destruindo a mente dos filhos desta pátria".

"A falta do respeito para com os educadores bem como a violência dentro das escolas mostra que o moral, a ética e o respeito ao próximo são valores ignorados, por isso precisamos resgatar o ensino religioso em nosso país, e isto de maneira sábia, simples e coerente".

Fonte: Creio

domingo, 20 de fevereiro de 2011

O VENENO DA LÍNGUA

“O que guarda a boca e a língua guarda a sua alma das angústias. ” (Provérbios 21:23)
Conta-se que certa vez um mercador grego, rico, ofereceu um banquete com comidas especiais. Chamou seu escravo e ordenou-lhe que fosse ao mercado comprar a melhor iguaria. O escravo retornou com belo prato. O mercador removeu o pano e assustado disse: -Língua?!! Este é o prato mais delicioso ? O escravo, sem levantar a cabeça, respondeu: – A língua é o prato mais delicioso, sim senhor. É com a língua que pedimos água… …dizemos “mamãe”, fazemos amigos, perdoamos. Com a língua reunimos pessoas, dizemos “meu Deus”, oramos, cantamos, dizemos “eu te amo”…
O mercador, não muito convencido, quis testar a sabedoria de seu escravo, e o mandou de volta ao mercado, desta vez para trazer o pior alimento. O escravo voltou com um lindo prato, coberto por fino tecido. O mercador, ansioso, retirou o pano para conhecer o pior alimento. – Língua, outra vez?!!, disse, espantado. -Sim, língua, respondeu o escravo. É com a língua que condenamos, separamos, provocamos intrigas e ciúmes, blasfemamos. É com ela que expulsamos, isolamos, enganamos nosso irmão, xingamos pai e mãe… Não há nada pior que a língua; não há nada melhor que a língua. Depende do modo que a usamos.

Fonte:www.sermao.com.br

Bispo Edir Macedo afirma durante culto que bebe cerveja e causa polêmica.

Durante o chamado “Santo Culto” da Igreja Universal, gravado no dia 30 de Janeiro e postado o áudio no Youtube, o bispo Edir Macedo confessa que bebe cerveja. No sermão, o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus falava sobre a diferença entre a fé e a religião, dizendo que a religião impõe restrições e obrigações, mas a fé não.

No áudio, gravado em baixa qualidade mas contendo todos os trejeitos das pregações do Bispo, Macedo afirma: “Deus nos deu a fé para que a gente decida o que é melhor pra nós. Não tem nada a ver com religião. A religião evangélica proíbe beber vinho, é ou não é? Mas eu bebo o vinho, eu bebo um cálice de vinho. A religião proíbe beber cerveja, mas eu bebo cerveja quando eu estou com vontade eu bebo e acabou! E quem é que vai me dizer pra eu não beber?”, disse.

Ciente do peso de suas palavras, Edir Macedo afirma que o fato dele beber não pode ser levado em conta para que outras pessoas façam o mesmo. “Eu não estou dizendo pra você beber ou não beber. Isso é problema seu! A sua fé é quem tem que dirigir a sua vida e não a minha fé”.

Já prevendo o escândalo que suas declarações causariam ele diz: “A fé que Deus nos dá faz a gente ser livre!” No final do trecho divulgado o bispo ainda diz em tom de brincadeira “se beber não dirija”.
Em outras pregações com o mesmo tom enfático, o Bispo também já causou polêmica ao afirmar que pastores com mulheres preocupadas com a Obra não conseguem fazer a igreja crescer porque as esposas seriam uma pestinha como “um piolho no saco do Pastor”.

No Youtube comentários sobre a nuance da voz que começa normal e depois fica alternando entre grave e média dominam a a página do vídeo, porém técnicos já analisaram e afirmaram que o problema é devido a baixa qualidade do gravador utilizado para registrar o áudio, porém em todo o som a é a voz do Bispo Edir Macedo só que mais grave.

Prevendo a polêmica o Bispo publicou dias depois em seu blog um texto falando ainda mais sobre o tema fé e religiosidade, reforçando que a “comunhão com Deus só é possível na base espiritual”. Macedo também afirmou que “o primeiro e maior objetivo das religiões é barrar a entrada de pessoas pensantes no Reino de Deus. Em seguida, manter os já “fisgados”, acomodados na fé emotiva”.

Nos cultos da Igreja Universal não é possível utilizar câmeras de vídeo, por isso é comum fiéis da igreja utilizarem gravadores para registrarem as pregações do Bispo Macedo e poderem ouvir novamente depois.

Fonte: Gospel+

Após 13 anos a frente de time feminino do Santos, treinador pode ter sido demitido por ser evangélico

O técnico Kleiton Lima convocou a imprensa em um hotel no litoral paulista para explicar sua demissão do time de futebol feminino do Santos, que comandou nos últimos 13 anos. Kleiton acredita que o fato de ser evangélico influenciou na decisão da diretoria santista. O treinador revelou que os dirigentes do clube não aprovavam suas orações e preleções com citações bíblicas antes dos treinos e dos jogos da equipe.

“Todo mundo sabe que eu sou cristão, eu nunca neguei isso. Tenho uma ética em cima de princípios e valores. Não teve problema de religião, só certas situações, como orações antes dos treinamentos. Alguns motivacionais com histórias bíblicas que os diretores achavam desagradáveis, mas nunca houve interferência de atletas recebendo imposição”, afirmou.

“Se tiver um novo projeto existirão novas ofertas. Eu espero que o Santos continue crescendo. Eu acredito que as Sereias não podem recuar. Me passaram que o diretor acabou de dizer que não sabe o que vai oferecer a elas. Se eu tiver a oportunidade de oferecer algo melhor, vou fazer isso por elas. Nós torcemos que elas tenham um emprego”, disse o treinador.

Chateado com a demissão, o treinador não poupou críticas a atual diretoria do Santos. Kleiton Lima acredita que a falta de experiência dos dirigentes santistas fizeram a modalidade regredir no clube nesta temporada.

“Estou preocupado com o futuro das Sereias, o diretor disse que não tem patrocinador ainda para o ano que vem. Como você entra o ano sem planejamento. O futebol feminino já tinha passado dessa fase. Eu acreditava que o futebol feminino ia tomar um rumo profissional. Hoje nós terminamos o ano sem as atletas saberem se vão continuar no clube. O projeto não avançou, ele precisava avançar”, declarou Kleiton Lima, que continua como treinador da seleção brasileira.

Fonte: IG / Gospel+

sábado, 19 de fevereiro de 2011

O que é graça?

Por: Rev. Alcindo Almeida

"Pela graça (pelo favor imerecido por parte de Deus) fostes salvos, por meio da fé. e isso não vem de vós, é dom de Deus: não vem das obras (ou merecimentos) para que ninguém se glorie (se encha de orgulho). Pois somos criaturas dele, criados em Cristo Jesus para as boas obras que Deus já antes tinha preparado para que nelas andássemos". (Ef. 2: 8, 9)

Deus tem uma aliança conosco. Aliança que jamais é rompida, anulada, terminada. Mesmo que nós falhemos para com Deus no cumprimento dela, ele não acaba. Sabem porquê? Por causa de uma palavra chamada de graça. Mas, o que é graça?

Graça pode ser definida "como o favor eterno e totalmente gratuito de Deus manifestado na concessão de bênçãos espirituais e ternas às criaturas culpadas e indignas. A graça é a concessão de favores a quem não tem mérito próprio, e pelos quais não se exige compensação alguma da parte do homem". Graça é Deus dar ao pecador aquilo que ele não merece, ou seja, a salvação. Graça é favor imerecido dado por Deus. Quando Deus é bondoso, ele revela a sua bondade que chamamos de graça. Não podemos esquecer de que esta graça só é dada para aqueles que Deus amou de maneira especial. Ela não é manifestada a humanidade toda no sentido de salvação. Ela é somente para os escolhidos de Deus.

É exatamente por causa desta graça especial que Deus não rompe conosco, não cessa a sua aliança. Esta graça que é eterna foi idealizada antes de ser manifesta aos homens. Ela foi proposta antes de ser comunicada a eles (II Tm. 1:9). Esta graça que é soberana, que reina, por isso encontramos o texto de Hb. 4:16 " o trono da graça" é dada para que sejamos escolhidos por Deus (Rom. 11:5-6); para que sejamos regenerados (Gl. 1:6; I Pe. 3:7); para que sejamos santificados ( I Pe. 5:10); para que entremos na glória de Deus ( I Pe. 5:10); para que sejamos edificados pela Palavra de Deus (Atos 14:3; 20:32); para que recebamos consolação e socorro ( II Ts. 2:16-7; Hb. 4:16). E para que por fim nós glorifiquemos ao Senhor Jesus (II Ts. 1:12).

Esta graça abundante de Deus, deve nos levar a uma vida mais próxima, a uma vida mais comprometida com ele. A uma vida de maior louvor por sua bondade em nos salvar sem haver absolutamente nenhum mérito em nós. Louvado seja o nome do Senhor por esta graça tão especial em nossa vida !

Fonte:www.ipb.org.br

A MATEMÁTICA DO CASAMENTO

O casamento tem suas leis e princípios. Ele tem sua lógica e embora não seja um relacionamento regido por ciências exatas, tem muita coisa semelhante com a matemática. Encontramos no casamento as quatro equações da matemática. Em primeiro lugar, iniciemos com a subtração. O casamento começa com a subtração. É quando o homem deixa seu pai e sua mãe para unir-se à sua mulher.
A soma no casamento começa com uma subtração. Primeiro se deixa para depois se unir. Os pais precisam liberar os filhos para que eles verdadeiramente batam asas do ninho e comecem uma nova jornada na vida. Os pais podem e devem aconselhar os filhos, mas não interferir na vida deles depois de casados. Os filhos precisam cortar o cordão umbilical dos pais a fim de que não fiquem dependentes emocional e financeiramente depois do casamento. Unir-se sem antes deixar pai e mãe é uma conspiração contra o propósito de Deus para o casamento. O casamento precisa ter legalidade antes de união física. Ele é um contrato social antes de ser uma união conjugal. A primeira equação no casamento é a subtração, o deixar pai e mãe.
Em segundo lugar, prossigamos com a adição. O homem depois que deixa pai e mãe deve unir-se à sua mulher. Essa união é indivisível e indissolúvel. É uma união de sonhos, alvos, propósitos bem como uma união física. No casamento o homem e a mulher se tornam uma só carne. Na criação Deus de um fez dois, mas no casamento Deus de dois fez um. O casamento é uma adição misteriosa, pois dois seres tão diferentes se amalgamam num relacionamento místico e estreito a tal ponto do apóstolo Paulo afirmar que aquele que ama a sua esposa a si mesmo se ama, pois ninguém jamais odiou a sua própria carne. O casamento é adição constante de amor, afeto e respeito. No casamento quando você adiciona, você recebe de volta multiplicadamente seja o bem ou o mal. É o princípio da semeadura. O que você planta você colhe. Colhe a mesma semente que plantou e em maior quantidade.
Em terceiro lugar, continuemos com a multiplicação. Um casamento que passou pela subtração e adição é completo em si mesmo, porém, Deus ainda nos dá a graça de empregarmos a multiplicação. Através dos filhos o casal não apenas enche sua aljava, mas também multiplica seus sonhos. Os pais vêem a perpetuação de sua semente, do seu nome, de seus sonhos através dos filhos. Eles são herança de Deus e flechas nas mãos do guerreiro. Eles são como rebentos da oliveira que continuam dando frutos quando o tronco já está tombando. O casamento abre os horizontes da esperança para o mundo, pois ao mesmo tempo em que uns estão encerrando a carreira, outros estão começando; enquanto uns estão descendo a ladeira da vida, outros estão subindo sua colina, cheios de esperança.
Em quarto lugar, terminemos com a divisão. No casamento não acumulamos, mas repartimos. Não queremos tudo para nós, mas dividimos o que temos com alegria. No casamento devemos investir mais do que cobrar; dar mais do que receber; repartir mais do que reter. No casamento não existe espaço para o egoísmo centralizador. O amor não é centrado no eu, mas no outro. O amor não visa seus próprios interesses, mas busca a realização da pessoa amada. Quem ama dá. Quem ama reparte. Quem ama divide o que tem.
Na matemática quando dividimos o que temos, ficamos com um saldo menor; mas, no casamento, quanto mais repartimos maior é o nosso saldo. Quanto mais investimos nos outros, mais recebemos. Na matemática do casamento é preciso deixar para se unir. É preciso unir para multiplicar. É preciso dividir para continuar crescendo.

Fonte: Rev. Hernandes Dias Lopes

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Como dar um jeito em alguém que você não gosta

“… aquilo que o homem semear, isso também colherá…” (Gálatas 6:7).
“Há muito tempo, uma menina chamada Lili se casou e foi viver com o marido e a sogra. Depois de alguns dias, passou a não se entender com a sogra, pois as personalidades delas eram muito diferentes e Lili foi se irritando com seus hábitos e a sogra, por sua vez, freqüentemente a criticava. Meses se passaram e elas cada vez mais discutiam e brigavam.
De acordo com antiga tradição chinesa a nora tinha que se curvar à sogra e obedecê-la em tudo. Lili, já não suportando mais conviver com ela, decidiu tomar uma atitude e foi visitar um amigo de seu pai. Depois de ouvi-la, ele pegou um pacote de ervas lhe disse: – Vou lhe dar várias ervas que irão lentamente envenenando sua sogra. Você não poderá usá-las de uma só vez para se libertar de sua sogra porque isso causaria suspeitas. A cada dois dias ponha um pouco destas ervas na comida dela. Agora, para ter certeza de que ninguém suspeitará de você quando ela morrer, você deve ter muito cuidado e agir de forma muito amigável. Lili respondeu: – Sim, Sr. Huang, eu farei tudo o que o que o senhor me pedir.
Lili ficou muito contente, agradeceu e voltou apressada para casa para começar o projeto de assassinar a sua sogra. Semanas se passaram e a cada dois dias Lili servia a comida “especialmente tratada” à sua sogra. Ela sempre lembrava do que Sr.Huang tinha recomendado sobre evitar suspeitas e, assim, controlou o seu temperamento, obedeceu a sogra e a tratou como se fosse sua própria mãe. Depois de seis meses, a casa inteira estava com outro astral. Lili tinha controlado o seu temperamento e quase nunca se aborrecia. Nesses seis meses, não tinha tido nenhuma discussão com a sogra, que agora parecia mais amável e mais fácil de lidar. As atitudes da sogra também mudaram e elas passaram a se tratar como mãe e filha.
Um dia, Lili foi novamente procurar o Sr. Huang para pedir-lhe ajuda e disse: – Querido Sr. Huang, por favor, me ajude a evitar que o veneno mate minha sogra. Ela se transformou numa mulher agradável e eu a amo como se fosse minha mãe. Não quero que ela morra por causa do veneno que eu lhe dei. Sr. Huang sorriu e acenou com a cabeça. – Lili, não precisa se preocupar.
As ervas que eu dei eram vitaminas para melhorar a saúde dela. O veneno na verdade estava na sua mente e na sua atitude, mas foi jogado fora e substituído pelo amor que você passou a dar a ela”.

Amados, em vez de envenenarmos cada vez mais as pessoas, deveríamos nos esforçar para amá-las… QUEM SABE ELAS NÃO MUDAM???

FONTE:www.sermao.com.br

Os últimos três desejos de Alexandre, o Grande

Conta-se que quando estava à beira da morte, Alexandre, o Grande convocou os seus generais e relatou seus 3 últimos desejos:
1-) Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;
2-) Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas);
3-) Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão: à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos incomuns, perguntou a Alexandre quais as razões para tal desejo. Alexandre explicou:
1-) Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;
2-) Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3-) Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos.


FONTE:www.sermao.com.br

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Aborto: Os dois pontos cruciais

O aborto de acordo com a legislação vigente e à luz da Palavra de Deus
por Rev. Augustus Nicodemus Lopes

A legislação sobre o assunto
O artigo 128 do Código Penal brasileiro (que é de 1940) permite o aborto quando há risco de vida para a mãe, e quando a gravidez resulta de estupro. Porém, apenas sete hospitais nos pais faziam o aborto legal. Esse ano, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Câmara dos Deputados, aprovou a obrigatoriedade do SUS (Sistema Único de Saúde) realizar o aborto nos termos da lei. O projeto, porém, permite ao médico (não ao hospital) recusar-se a fazer o aborto, por razões de consciência – um reconhecimento de que o assunto é polêmico e que envolve mais que procedimentos médicos e mecânicos. Por exemplo, o ministro da Saúde, Carlos Albuquerque, disse ser contrário à lei e comparou aborto a um assassinato. Além disto, médicos podem ter uma resistência natural, pela própria formação deles (obrigação de lutar pela vida). "O juiz que autoriza o aborto é co-autor do crime. Isso fere o direito à vida", disse o desembargador José Geraldo Fonseca, do Tribunal de Justiça de São Paulo, em entrevista ao jornal Estado de São Paulo (22/09/97). Segundo ele, o artigo 128 do Código Penal não autoriza o aborto nesses casos, mas apenas não prevê pena para quem o pratica. No momento, existem projetos de ampliar a lei, garantindo o aborto também no caso de malformação do feto, com pouca possibilidade de vida após o parto.

O ensino bíblico

O assunto é particularmente agudo para os cristãos comprometidos com a Palavra de Deus. É verdade que não há um preceito legal na Bíblia proibindo diretamente o aborto, como "Não abortarás". Mas a razão é clara. Era tão inconcebível que uma mulher israelita desejasse um aborto que não havia necessidade de proibi-lo explicitamente na lei de Moisés. Crianças eram consideradas como um presente ou herança de Deus (Gn 33.5; Sl 113.9; 127.3). Era Deus quem abria a madre e permitia a gravidez (Gn 29.33; 30.22; 1 Sm. 1.19-20). Não ter filhos era considerado uma maldição, já que o nome de família do marido não poderia ser perpetuado (Dt 25.6; Rt 4.5). O aborto era algo tão contrário à mentalidade israelita que bastava um mandamento genérico, "Não matarás" (Êx 20.13). Mas os tempos mudaram. A sociedade ocidental moderna vê filhos como empecilho à concretização do sonho de realização pessoal do casal, da mulher em especial, de ter uma boa posição financeira, de aproveitar a vida, de ter lazer, e de trabalhar. A Igreja, entretanto, deve guiar-se pela Palavra de Deus, e não pela ética da sociedade onde está inserida.

A humanidade do feto

Há dois pontos cruciais em torno dos quais gira as questões éticas e morais relacionadas com o aborto provocado. O primeiro é quanto à humanidade do feto. Esse ponto tem a ver com a resposta à pergunta: quando é que, no processo de concepção, gestação e nascimento, o embrião se torna um ser humano, uma pessoa, adquirindo assim o direito à vida? Muitos que são a favor do aborto argumentam que o embrião (e depois o feto), só se torna um ser humano depois de determinado período de gestação, antes do qual abortar não seria assassinato. Por exemplo, o aborto é permitido na Inglaterra até 7 meses de gestação. Outros são mais radicais. Em 1973 a Suprema Corte dos Estados Unidos passou uma lei permitindo o aborto, argumentando que uma criança não nascida não é uma pessoa no sentido pleno do termo, e, portanto, não tem direito constitucional à vida, liberdade e propriedades. Entretanto, muitos biólogos, geneticistas e médicos concordam que a vida biológica inicia-se desde a concepção. As Escrituras confirmam este conceito ensinando que Deus considera sagrada vida de crianças não nascidas. Veja, por exemplo, Êx 4.11; 21.21-25; Jó 10.8-12; Sl 139.13-16; Jr. 1.5; Mt 1.18; e Lc 1.39-44. Apesar de algumas dessas passagens terem pontos de difícil interpretação, não é difícil de ver que a Bíblia ensina que o corpo, a vida e as faculdades morais do homem se originam simultaneamente na concepção.

Os Pais da Igreja, que vieram logo após os apóstolos, reconheceram esta verdade, como aparece claramente nos escritos de Tertuliano, Jerônimo, Agostinho, Clemente de Alexandria e outros. No Império Romano pagão, o aborto era praticado livremente, mas os cristãos se posicionaram contra a prática. Em 314 o concílio de Ancira (moderna Ankara) decretou que deveriam ser excluídos da ceia do Senhor durante 10 anos todos os que procurassem provocar o aborto ou fizesse drogas para provocá-lo. Anteriormente, o sínodo de Elvira (305-306) havia excluído até a morte os que praticassem tais coisas. Assim, a evidência biológica e bíblica é que crianças não nascidas são seres humanos, são pessoas, e que matá-las é assassinato.

A santidade da vida

O segundo ponto tem a ver com a santidade da vida. Ainda que as crianças fossem reconhecidas como seres humanos, como pessoas, antes de nascer, ainda assim, suas vidas estariam ameaçadas pelo aborto. Vivemos em uma sociedade que perdeu o conceito da santidade da vida. O conceito bíblico de que o homem é uma criatura especial, feita à imagem de Deus, diferente de todas as demais formas de vida, e que possui uma alma imortal, tem sido substituído pelo conceito humanista do evolucionismo, que vê o homem simplesmente como uma espécie a mais, o Homo sapiens, sem nada que realmente o faça distinto das demais espécies. A vida humana perdeu seu valor. O direito para continuar existindo não é mais determinado pelo alto valor que se dava ao homem por ser feito à imagem de Deus, mas por fatores financeiros, sociológicos e de conveniência pessoal, geralmente, utilitarista e egoísta. Em São Paulo, por exemplo, um médico declarou "Faço aborto com o mesmo respeito com que faço uma cesárea. É um procedimento tão ético como uma cauterização". E perguntado se faria aborto em sua filha, respondeu: "Faria, se ela considerasse a gravidez inoportuna por algum motivo. Eu mesmo já fiz sete abortos de namoradas minhas que não podiam sustentar a gravidez" (A Folha de São Paulo, 29 de agosto de 1997).

Conclusão

Esses pontos devem ser encarados por todos os cristãos. Evidentemente, existem situações complexas e difíceis, como no caso da gravidez de risco e do estupro. Meu ponto é que as soluções sempre devem ser a favor da vida. C. Everett Koop, ex-cirurgião geral dos Estados Unidos, escreveu: "Nos meus 36 anos de cirurgia pediátrica, nunca vi um caso em que o aborto fosse a única saída para que a mãe sobrevivesse". Sua prática nestes casos raros era provocar o nascimento prematuro da criança e dar todas as condições para sua sobrevivência. Ao mesmo tempo, é preciso que a Igreja se compadeça e auxilie os cristãos que se vêem diante deste terrível dilema. Condenação não irá substituir orientação, apoio e acompanhamento. A dor, a revolta e o sofrimento de quem foi estuprada não se resolverá matando o ser humano concebido em seu ventre. Por outro lado, a Igreja não pode simplesmente abandonar à sua sorte as estupradas grávidas que resolvem ter a criança. É preciso apoio, acompanhamento e orientação.

Fonte:www.ipb.org.br

O que significa ser um mordomo de Deus?

Referência: 1 Coríntios 4:1-2
INTRODUÇÃO

1. “Se você quer saber por que você está aqui neste planeta, você tem que começar com Deus. Você nasceu por seu propósito e para seu propósito” (Rick Warren). João Calvino começa as suas Institutas mostrando que o conhecimento do homem, sua origem e propósito só pó ser compreendido quando conhecemos primeiro a Deus.
2. Você não descobre o significado da vida, como muitos livros de auto-ajuda dizem, olhando para dentro, mas olhando para o alto. Ilustração: Um homem perdido na floresta. Você não sairá daqui olhando para onde você está, você se dirigir olhando para o outro lado da montanha.
3. O propósito da vida não está na especulação dos milhares de filósofos, mas na revelação divina. Você não é um acidente. Seu nascimento não foi um engano. Seus pais podem não ter planejado você, mas Deus planejou. Deus não ficou surpreso por nascimento, antes o esperou. Antes de ser concebido por seus pais, você foi concebido na mente de Deus.
a) Deus planejou cada detalhe do seu corpo (Salmo 139).
b) Deus determinou os talentos naturais que você possuiria e também sua personalidade única.
c) Deus determinou o tempo da sua vida sobre a terra.
d) Deus determinou onde você nasceria: sua nacionalidade, filiação, temperamento, cultura. Sua nacionalidade não é arbitrária.
e) Deus determinou como você iria nascer. Enquanto há pais ilegítimos, não há filhos ilegítimos. Muitos filhos não foram planejados por seus pais, mas foram planejados por Deus.
f) Deus pensou em você antes de criar o mundo.
g) Deus planejou você para um propósito específico: ser seu mordomo!

I. O QUE É SER UM MORDOMO DE DEUS?
1. Definição:

• É aquele que é incumbido da direção da casa, o administrador. Ele não é dono, mas o dono da casa lhe confia tudo o que tem para ser cuidado e desenvolvido: terras, dinheiro, jóias, esposa, filhos, alimentação da família e administração de suas riquezas.
• Quando o mordomo se sente dono dos bens do seu senhor, ele trai o seu senhor.
• Quando o mordomo deixa de cuidar com zelo e fidelidade dos bens do seu senhor, ele torna-se infiel.
2. Exemplos bíblicos de mordomia
a) Eliezer – Gn 24:2 “Disse Abraão ao seu mais antigo servo da casa, que governava tudo o que possuía…”. Eliezer não apenas cuidava dos bens de Abraão, mas também da família de Abraão. É incumbido de procurar uma esposa para Isaque. Eliezer obedece prontamente e fielmente. Ele depende de Deus para obedecer ao seu Senhor e ora, pedindo a direção de Deus (Gn 24:12-14).
b) José – Gn 39:4,6: “logrou José mercê perante ele, a quem servia; e ele o pôs por mordomo de sua casa e lhe passou às mãos tudo o que tinha… Potifar tudo o que tinha confiou às mãos de José, de maneira que, tendo-o por mordomo, de nada sabia, além do pão com que se alimentava”.
c) Paulo – Ele compreendeu que sua vida tinha um propósito definido (At 20:24). Alertou para o fato de que devemos manter sempre viva a verdade de que somos mordomos dos mistérios de Deus (1 Co 4:1-2).
d) Jesus – Jesus veio ao mundo cumprir o propósito do Pai. Tudo o que o Pai lhe confiou ele executou fielmente. A agenda do Pai era a sua agenda. A vontade do Pai era a sua vontade. Mesmo sofrendo por sua fidelidade ao propósito do Pai, permaneceu firme, deixando-nos o exemplo. “Porquanto para isto mesmo fostes chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo para seguirdes os seus passos” (1 Pe 2:21).
II. POR QUE DEVEMOS SER MORDOMOS DE DEUS?
1. Porque Deus como o dono e sustentador do universo nos delegou essa função
a) A função do homem é de mordomo e não de proprietário

• Gn 2:15-17: “Tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar. E o Senhor lhe deu esta ordem: De toda esta ordem: De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. O homem tinha ordens de coisas que permitidas, ordenadas e proibidas.
• Gn 1:28: “E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céus e sobre todo animal que rasteja pela terra”. Ao homem cabe não apenas encher a terra, mas também sujeitá-la. O crescimento populacional precisa ser responsável. O homem é mordomo!
• Salmo 8:3-9: “… deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste: ovelhas e bois, tudo, e também os animais do campo; as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares”.
• Como mordomo da criação o homem tem cometido dois erros: VENERAÇÃO E DEPREDAÇÃO.
b) Deus é o dono de tudo e não nos passou escritura do que lhe pertence
• Gn 14:22 – Abraão disse para o rei de Sodoma que o “Deus altíssimo possui o céus e a terra”.
• Dt 10:14 – “Eis que os céus e os céus dos céus são do Senhor, teu Deus, a terra e tudo o que nela há”.
• Salmo 24:1 – “Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam”. Os animais são de Deus (Sl 50:10-12), a terra é de Deus (Lv 25:23), a prata e o ouro são de Deus (Ag 2:8), o que a terra produz é de Deus (Os 2:8); até mesmo os bens que administramos e empregamos na obra de Deus é de Deus (1 Cr 29:13-16).
• Sempre que granjeamos, administramos e gastamos os recursos como se eles fossem nossos, não observando que pertencem a Deus, tornamo-nos mordomos infiéis.
2. Porque nós mesmos não nos pertencemos, mas somos propriedade exclusiva de Deus
a) Por direito de criação (Gn 1:27; 2:7; Is 42:5; 43:1-7)

• O homem não é produto do acaso, de evolução. Deus nos criou, nos formou, nos entreteceu. Ilustração: Marshall Nirenberg – 60 trilhões de células com 1,70 cm de fita DNA e a perseguição do período da revolução Francesa.
b) Por direito de preservação (At 14:15-17; 17:22-28)
a. A doutrina da providência é maravilhosa. Ela alcança ímpios e remidos. Deus dá a chuva e o sol ao pai de santo e ao pastor. Ele dá saúde ao salvo e incrédulo. As bênçãos da graça comum, ele as distribui a todos.
b. Nos dá vida, respiração, saúde, proteção, alimento, paladar, livramento. Ilustração: A diferença entre DEISMO E TEISMO.
c) Por direito de redenção (1 Co 6:19-20; 1 Pe 2:9; Ap 5:9)
• Deus nos criou para a sua glória (Is 43:7). O pecado nos afastou de Deus (Is 59:2). Então, Deus nos comprou pelo preço do sangue do seu Filho (At 20:28; 1 Co 6:20).
• Somos de Deus porque ele nos criou, porque ele nos preserva e porque ele nos remiu.
Ilustração: O menino que fez um barquinho e ao brincar com ele, este escapou de suas mãos, levado pela correnteza. Viu dias depois o seu barquinho na vitrine de uma loja. Insistiu que o barquinho lhe pertencia. Mas o dono disse-lhe que ele precisava comprar. O pai lhe deu o dinheiro e ele foi e comprou o seu próprio barquinho. Com alegria, disse: “Agora você é meu duas vezes. Primeiro, porque o fiz; e segundo, porque eu o comprei.”
III. QUAIS AS IMPLICAÇÕES DE SERMOS MORDOMOS DE DEUS?
1. Passamos a ter um profundo senso do sagrado
• Acaba-se a distinção entre sagrado e profano, ou atividades seculares e religiosas. Tudo passa ser sagrado e litúrgico. Exemplo: Isaque levanta um altar e cava um poço no mesmo lugar.
• O trabalho é sagrado. Você é um mordomo no comércio e no templo.
• O lar, a escola, o trabalho, a igreja participa da mesma esfera sagrada, porque Deus se importa com tudo o que é dele.
2. Passamos a ter um profundo senso de responsabilidade
• Vamos prestar conta da nossa mordomia (Lc 16:1). Como usamos nossa vida, família, bens, recursos, talentos, oportunidades, tempo, dinheiro.
• O que se requer dos mordomos é que eles sejam encontrados fiéis (1 Co 4:1-2).
3. Passamos a ter um profundo senso de dependência
• 1 Pedro 4:10 “Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus”.
• 2 Timóteo 2:21 “Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra”.
• Nenhum mordomo poderá desempenhar o seu sublime papel sem total dependência de Deus, sem o poder do Espírito Santo.
Rev. Hernandes Dias Lopes.